Paisagens

A cor da vida…

1 capa

FotoDmitry Spiros é um artista russo, quarentão, nascido em Tashkent, ex-república da União Soviética, no ano de 1971. Descendentes de pais gregos, é considerado um contemporâneo impressionista, fazendo muito bem o uso das cores, luzes e perspectivas. O pintor sofreu influência da escola francesa, mantendo sua mente em artistas como Van Gogh, Gauguin, Degas, Sisley, Renoir, Monet, e também os impressionistas russos dos séculos XIX e XX.

Seus temas variam entre paisagens, animais, naturezas mortas e retratos. Em 1993 depois de ter completado um período no Exército, estudou arte, graduando-se com honra após cinco anos. Mesmo durante o primeiro ano na escola, ele montou sua primeira exposição e vendeu várias obras com grande sucesso. Ao mesmo tempo, Dmitry também ensinou pintura e trabalhou como designer para a BAT (British American Tobacco) gigante do tabaco britânico e americano.

O pintor ainda fez carreira em Designer, trabalhou também para Nestlé desenvolvendo embalagens para chocolates  e fazendo design de embalagem para muitas empresas de alimentos russos. Spiros colaborou com a editora AGNI criando cartões postais e cartazes, muito deles decoram paredes de hospitais, escritórios e centros comerciais na cidade de Samara. A linha de produtos de souvenirs com base em suas telas foi produzida. Em 2008 viajou a Europa, muitas vezes a pé, com um cavalete por trás de seus ombros.

Tudo que vive, vê, e saboreia retrata em suas telas. Ruas tranquilas, fontes nas praças, aromas de especiarias diversas e o verão que se levanta boa parte do ano, sendo coberto por neve só alguns meses na sua cidade natal. A cidade de Leningrado, onde passou sua infância também está nos pinceis, com seus museus, parques e artistas, assim como a de Samara, onde morou entre 1998 e 2010. Desde 2011 o pintor reside em Cancún, no México. Suas pinturas fazem parte de coleções particulares em vários países.

*Os títulos das telas abaixo foram traduzidas do russo para o inglês para melhorar a compreensão das mesmas. / Sob uso do Google Tradutor.

A tela em moldura se chama Caribbean Sea, uma das paixões do artista. Amei! As cores estão esplêndidas, tal como a natureza do lugar.

1 Caribbean Sea

Gaivotas nas águas caribenhas! Linda tela! Estas aves são marinhas.

2 Gulls on the Water

Outono. Em alguns países está estação é maravilhosa, as folhas caem sem parar e formam um chão colorido. Lembrou-me um pouco uma das telas do artista plástico brasileiro e impressionista, Washington Maguetas, já presente aqui no blog.

 3 Autumn

A beleza e o romantismo de Veneza! Único!

4 Blue Venice

Nessa tela o artista faz referência a cidade de Samara, conhecida entre os anos 1935 a 1991 por Kuibyshev. Hoje é uma das principais cidades industriais da Rússia. Foi aberta a estrangeiros para turismo, moradia e trabalho, há uma série de empresas e fábricas internacionais.

5 Str. Kuibyshev

Cavalo! Não me canso de olhá-los. Toda vez que passa um por mim, busco tocá-los, olhar em seus olhos, são grandes animais.

6 Horse

Um rio da Rússia. Gostei da tela, dá vontade de entrar, até mesmo com as calças arregaçadas, só para pisar nas pedras…

7 River Psezuapse

Próprio de Veneza! A fusão das cores está ótima.

8 Carnival

Faz tempo que não encontro uma natureza morta tão viva. A luz está impecável!

8 Still Life

Nossa que pintura bela! Linda mesmo! Imagino logo numa parede de sala de estar!

9 Red Peacock

Vasos diferentes! Traz me algo de Marrocos, embora nunca tenha ido lá! Digo pelo que se vê em livros e filmes.

10 Vase on a Tray

Por fim uma onda com a beleza e cor incomparável de Cancún, México!

10 Wave

FONTES

Página Pessoal do artista: http://www.spiros.ru/index.htm

Etsy.com – SpirosArt

Russianpaintings.net

Fine Art America

 

 

Categories: Artistas Contemporâneos, Paisagens | Deixe o seu comentário

Passa carro, passa gente…

Ruas! Há muitas pelo mundo a fora. Grandes, apertadas, barulhentas, calmas. Algumas só de barro e terra, pedras, seixos ou asfalto. Há umas tão agradáveis que se chega a pensar é aqui que quero morar! Há ruas com nomes de pessoas e datas históricas e que se repetem em vários lugares. Já estive numa que o seu nome pertencia ao morador dela. E você sabe o significado da sua rua?

Além do que podem ocorrer mudanças nelas!  E há quem note, seja residencial ou não! Moro há anos em minha rua e vi muita coisa mudar. Casas virarem prédios, entre elas à de uma pizzaria bem simplesinha que nos fundos morava uma família muito simpática. Era o ambiente mais querido, muitas famílias se reuniam por lá. Mudou-se também a rota, a mão, o tráfego. Árvores desabaram. E com os prédios a rua se encheu de carros!

Vejamos aqui telas com ruas aparentemente atraentes para morar, passear, cuidar… Sim é muito importante cuidarmos das nossas ruas, mantendo-as limpas e organizadas, para um ambiente saudável a todos que residem ou frequentam elas!

A tela em moldura se chama Village Street e pertence ao artista plástico americano John Williams. Bela e romântica! Dar vontade de morar!

Outra cena de aldeia! Amei essa tela! Parece uma rua bucólica. Lembra-me uma que percorri na adolescência, possuía uma casa tal como essa, além da vegetação idêntica, provavelmente uma região onde o frio predomina, até por que… Olha lá em cima das casas, as chaminés!

Uma rua em Veneza, em óleo sobre madeira do artista plástico americano já falecido John Singer Sargent (1856-1925). Singer fez parte do movimento pós-impressionista e passou maior parte da sua vida na Europa. Essa rua fica próxima a região tranquila de Calle Larga dei Proverbi, Itália.

Guido Borelli (já falei dele aqui no post – És Facinação) nasceu em 1952, em Caluso, na Itália, no sopé dos Alpes Italianos. Suas pinturas possuem o jogo das sombras e quase sempre são de paisagens italianas, porém a rua abaixo se encontra numa região da Espanha, cujo nome faz jus ao quadro.

Vera Gutierrez é uma artista plástica brasileira, nascida em Piracicaba, SP. Pinta desde 1978. Sua tela traz casas na fazenda, como diz um próprio recanto, lugar de sossego, com ruas extremamente calmas. Concorda?

Sam Sidders é um artista americano de Oklahoma. Já viajou os Estados Unidos e a Europa retratando-os em seus quadros. Nesse, por exemplo, traz uma rua de uma aldeia, em Baviera, Alemanha; procurei em fotografias e realmente é muito bela! Além de descobrir ser uma região de peregrinações católicas. Alguém já passou ou passeou por ela? Conheça mais aqui: http://www.tompgalvin.com/places/de/bayern/oberammergau.htm

Sua paixão pela pintura começou aos 10 anos, quando seu avô lhe deu um cavalete para ajudar a passar o tempo enquanto a artista se recuperava da paralisia infantil. Terminou se formando em arte. Joan Jones é uma jovem senhora americana que diz que Deus tem a abençoado com saúde, bons professores e com apoio da família e amigos para conseguir ir à busca de seu ofício. Joan possui inúmeras pinturas, entre elas diversas ruas da segunda maior cidade da Noruega, Bergen ou Berga. Saiba mais aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bergen

Por fim o ucraniano já citado aqui no blog nos posts (Praga, República Checa – O Mundo pela Arte e, Entre e Saia) nascido em 1961, Yuriy Shevchuk, famoso por pintar a cidade de Praga. Vale a pena ver a rua em fotografia é idêntica! A casa azul na pintura, logo a segunda, de número 22, pertenceu ao escritor judeu Franz Kafka. Olha só! Foi a rua do escritor! O que diria ele sobre, caso estivesse vivo?

A arte é mesmo fantástica. Assim como as ruas, telas são capazes de trazer em cada traço, pincelada e detalhe, cultura e informações a quem observa; que talvez de outro jeito não soubesse e se quer enxergaria!

FONTES

Tela, Vida e Obra John Williams: http://johnwilliams.artspan.com

Tela James Fox: http://migre.me/bJHBf

Tela, Vida e Obra Sargent: http://en.wikipedia.org/wiki/Street_in_Venice

Tela Borelli: http://migre.me/bJI6v

Tela, Vida e Obra Gutierrez: http://veragutierrez.artelista.com

Tela Sam Sidders: http://migre.me/bJIEn   / http://ssidders.tripod.com/id337.htm

Tela, Vida e Obra Jones: http://migre.me/bJJQi

Tela, Vida e Obra Yuriy Shevchuk : http://www.shevchukart.com   / http://migre.me/bJKPX

 

Categories: A arte em Todo Lugar, Paisagens | 1 Comentário

Além do verde e amarelo…

Ipê Amarelo. Mico Leão Dourado. Jambo-Rosa. Terra Roxa. Do norte ao sul do Brasil, pelos quatros cantos o país é rico em cores. Já observou? Aprecie nesse post artistas que retrataram em suas telas cores únicas, tipicamente brasileiras.

Comecemos com uma tela da artista plástica Silvana Oliveira, autodidata de Passo Fundo, RS. Nascida em 1971, desde criança já demonstrava sua queda pela arte, em belos desenhos que desenvolveu até seus 18 anos quando começou a pintar em óleo sobre tela. Durante anos aprimorou sua técnica baseada em muita pesquisa e observação, incorporando elementos da fauna e da flora brasileira. Sua tela se chama Araras Azuis II. Este pássaro vive nos biomas da Floresta Amazônica.

Albert Eckhout (1610-1665) foi um pintor holandês que fez parte da comitiva de Maurício de Nassau ao Brasil entre 1637 e 1644. Obteve como missão registrar a paisagem brasileira. Sua comoção perante a opulência da natureza é evidente, o que se revela especialmente em seus tipos humanos e suas naturezas-mortas.

Ginga Baiana. Este título foi dado por mim, porque a artista plástica Fabiane Balbino gentilmente pediu para eu dar um nome a sua pintura! Fiquei imensamente feliz e escolhi este nome devido a moça da tela lembrar daquelas mulheres de fibra que sobem e descem o pelourinho trabalhando e tem gingado por onde passam, encantam com sua beleza e alma!

A próxima tela achei muito bela, porém não consegui descobrir nada sobre a artista Nair Castro, caso alguém saiba favor postar no comentário desse post.

Grande artista brasileira foi a Tarsila do Amaral, nascida em São Paulo, 1886. Estudou na capital, no Colégio Sion e depois em Barcelona, na Espanha, onde fez seu primeiro quadro, ‘Sagrado Coração de Jesus’, 1904. Em 1920, foi estudar em Paris, na Académie Julien e com Émile Renard. Ficou lá até junho de 1922 quando soube da Semana de Arte Moderna (que aconteceu em fevereiro) através das cartas da amiga Anita Malfatti. Ao voltar para o Brasil, Anita a introduziu no grupo modernista e Tarsila começou a namorar o escritor Oswald de Andrade. Ficou reconhecida e entrou para a estória da arte moderna brasileira ao pintar no ano seguinte em Paris a tela “A Negra” a figura tinha muita ligação com sua infância, pois essas negras eram filhas de escravos que tomavam conta das crianças e, algumas vezes, serviam até de amas de leite. O quadro a seguir foi pintado em 1933 onde a artista inicia uma fase de temática mais social. Tarsila faleceu em 1973.

Mineiro! José Ricardo de Souza nasceu em 1960 no interior de Minas Gerais. É descrito como um sujeito pacto, de hábito simples, da terra, e fala mansa. O gosto pelo desenho o levou a pintura. Vê em Minas uma escola paisagística de respeito.

Mais uma artista desconhecida, apenas descobri seu primeiro nome; Lucien! Caso alguém possua informações favor postar nos comentários. Sua tela junta a cor da jangada com o azul do mar e os verdes dos coqueiras.

As cores das sombrinhas de frevo são unicamentes brasileiras e bem representadas nos pincéis da brasileira Susan Joarlette.

Lindíssima tela da artista plástica brasileira de Ubatuba, SP, Cristiane Campos. Autodidata, a pintora possui tendência ao figurativismo.

Por fim Vitória-régias, planta aquática, típica da região amazônica, de cor única e representativa, com o artista autodidata e ator cearense Beethoven Cavalcante.  

FONTES

Textuais: Wikipédia

Tela, Vida e Obra Silvana Oliveira: http://migre.me/bxaZl

Tela Albert Eckhout: http://www.institutoricardobrennand.org.br

Tela Fabiane Balbino: http://facarte.wordpress.com/pintura-moderna

https://www.facebook.com/fabiane.balbino.56

Tela Nair Castro: http://migre.me/bx8Ap

Tela, Vida e Obra Tarsila do Amaral: http://www.tarsiladoamaral.com.br

Vida e Obra José Ricardo: http://migre.me/bxf91

Tela José Ricardo: http://migre.me/bxfcJ

Susan Joarlette: http://www.susanjoarlette.com

Tela, Vida e Obra Cristiane Campos: http://migre.me/bxhfk

Tela, Vida e Obra Beethoven Cavalcante: http://migre.me/bxhMY

https://www.facebook.com/AtelierCavalcantes

Categories: Animais, Flores e Frutos, Paisagens | 2 Comentários

Velas ao Mar!

Quando vi a tela Sails de Alexei Adamov me apaixonei! Linda demais. Lembrou-me dos tempos de infância quando via os raios de sol cintilando na água do mar. Havia um barco à vela onde tinha costume de brincar, ficava preso, ancorado na terra, um pouco mais adentro que a beira da praia. Gostava de subir e me deitar no casco para ouvir os batuques das ondas e olhar o céu! O barco branco com vela branca tinha por nome Ricardo, imagino que devia ser o nome do dono. Gostava do cheiro. Do som. De pular as ondas. Pisar na areia e cascalhos. Catar mariscos e conchas. Águas hora azuis, hora esverdeadas! O oceano é um universo cheio de preciosidades e vida.

Alexei Adamov nasceu em 1971 em Taganrog, uma cidade e um porto marítimo (Mar de Azov) localizado em Oblast de Rostov, na Rússia. Adamov é especialista em paisagens marítimas, embora possua outras variadas telas de campos e florestas, com seus rios e lagos. Sua técnica mistura realismo com uma visão pessoal do artista.

A tela em moldura se chama Sails que quer dizer Velas. Dá uma vontade de mergulhar nela!

Essa significa Mar Negro, um mar que liga o mar de Azov ao estreito de Kerch. É também chamado de Ponto Euxino. Banha a Ucrânia, a norte, a Rússia, a nordeste, a Geórgia, a leste, a Turquia, a sul, e a secção europeia da Turquia, a Bulgária e a Roménia, a oeste. Recebe este nome devido à presença de grande quantidade de sais minerais que dão uma coloração escura à água.

Pôr do Sol! Mais parece uma fotografia! Gostei muito do reflexo!

M A R A V I L H O S O! Essa tela quer dizer “Acalmar”, calmo. E é mesmo. Incrível é o silêncio que há nela! Tão bom de ouvir. Só vozes da natureza.

Se a de cima possui um silêncio, está possui mais ainda. Significa Nuvem e possui um efeito calmante também! O que acha?

Um barco a velas em meio ao oceano! As ondas parecem ter mais movimentos causados pelo vento. Quando pequena me diziam que muitas gaivotas sobrevoando um mesmo ponto do mar eram a presença de peixes em abundância na região, será?

Quanto à tela abaixo achei estranho o título que significa Lua Verde. Se fosse cinza seria mais compreensível. Fui pesquisar sobre, talvez, assim como existem as auroras boreais, poderia ocorrer algum fenômeno com a lua a tal ponto. Encontrei algo interessante, porém não posso afirmar que seja.  É normal ela ficar amarelada ou alaranjada devido à poluição atmosférica. Mas a pessoa também pode ser daltônica a ponto de trocar o alaranjado quase vermelho pelo esverdeado. Entretanto, aí não se encontra a lua, mas o sol se pondo. Talvez o encontro do sol com o mar cause esta atmosfera verde, embora a vejo acinzentada. Alguém tem algo a dizer?

Regata! Já vi várias! Pode ser só um ato de lazer ou uma prova náutica. A competição de velas é comum nas Olimpíadas. Mas costumava ver presencialmente muitas no mês de outubro, onde havia regatas em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, a Rainha dos Mares. O mar se enchia de barcos à vela com flores decorando-os.

FONTES

Textuais: Wikipédia (A uso embora não seja uma fonte 100% confiável, já li muitos enganos nela, ao menos que se tenha um conhecimento do assunto, é bom assinalar isto aqui).

Telas Alexei Adamov: http://migre.me/bffm4

Categories: Artistas Contemporâneos, Paisagens | 1 Comentário

Um Céu de Luz

De manhã e à tardinha, o sol brilha bem cedinho até ao meio-dia, depois entre as nuvens se prepara para partir e voltar num novo dia! À noite o céu também se ilumina com a lua e as estrelas, mas nesse post prevalecerão os raios do sol que tantas vezes nos fazem contemplar “céus” que são uma verdadeira maravilha!

A tela em moldura pertence ao artista americano Lindsay Dawson e se chama The Meeting, que significa “O Encontro”.

Richard Herman é um artista autodidata canadense nascido em 1965. Sua tela se trata de uma região no Canadá. Essa é apenas uma das suas belas pinturas. Vale a pena ver a galeria do artista.

Ken Bushe é um artista plástico escocês. Sua tela quer dizer Cenário de Sol.

Svetlana Smirnova é uma artista russa.

O céu, o mar, a luz, a esperança nos pincéis de Laurence James O’Toole artista irlandês nascido em 1968.

Surrealista é o que digo do pintor Vladimir Kush, um pintor russo, nascido em 1965, Moscou.  Não gosto desta escola. A mesma de Salvador Dali. Seguiu o movimento do realismo metafórico, dos sonhos. Salva-se essa tela por uma nuvem em forma de pomba, que poderia está representando a paz, apesar de ter um homem tentando acertá-la, com um arco e flecha, ela é maior, indestrutível! Sim! Infelizmente não encontrei o título da mesma, caso alguém saiba, favor dizer nos comentários.

 

FONTES

Tela Dawson: http://migre.me/b59mA

Tela Herman: http://www.richardhermanart.com

Tela Bushe: http://www.kenbushe.co.uk/index.html

Tela Sminorva: http://migre.me/b5afu

Tela O´Toole: http://www.laurenceotoole.com

Tela Kush: http://migre.me/b5aPX

 

 

 

Categories: Paisagens | Deixe o seu comentário

Entre e saia…

Sabe aquelas ruas estreitas por onde só andam pedestres? Algumas bem cuidadas. Com flores, luminárias, bancos, bem agradáveis a um passeio. Até própria da edificação do lugar. Com escadarias. Há tantos lugares assim no mundo. Grécia. Marrocos. França. Praga. Brasil… Algumas telas as trazem e muito me agradam para paredes no Q.R&L! E você conhece alguma? Já pegou becos, passou por pequenas vias, cortando caminho? Venha descobrir algumas e se desejar compartilhar suas passagens por becos e ruelas!

A tela em moldura pertence a Andrey Chernysh um artista ucraniano nascido em 1962. Sua primeira viagem foi em 1993 para Praga onde o mesmo se encantou com a beleza e mistério da cidade e pintou diversas telas dela. Essa se chama Light the Way (Caminho de Luz).

Curioso dizer que Praga é a capital e a maior cidade da República Checa. Localiza-se sobre colinas, cheia de belas e antigas pontes, possui o grande Castelo de Praga em Hradcany, considerado o maior do mundo. Para muitos é conhecida como “a cidade das cem cúpulas”! As telas de Andrej são de arrasar, cada uma mais bela do que a outra!

A próxima tela pertence à Helen Tarr artista e professora de arte. Helen é inglesa, possui diversas telas sobre Birmingham a segunda maior e mais importante cidade do Reino Unido, atrás apenas da capital Londres. Sua tela significa “Beco Desnecessário”. Trata-se de um beco de Birmingham de formato da letra “S” construido em 1731. Já foi via rural. Hoje possui lojas, escritórios e casas.

Rocio Carballo é um artista espanhol. Nasceu em 1933. Suas telas são em maioria paisagens de San Fernando, Andaluzia, Espanha. A cidade histórica tida como uma ilha foi construida sobre a Colina dos Mártires. Callejón Croquer é um dos becos mais famosos de San Fernando. Foi desenhado no final do século XVIII. Situa-se entre a rua principal da cidade (Calle Real) e a Calle Murillo. Calle quer dizer rua em espanhol! Caso se encante busque por fotografias do lugar! É para se apaixonar!

J.Verissimo é um artista plástico de São Paulo. É bonita por demais suas telas. Nessa ele reproduz a Bolsa Oficial do Café em Santos, localizada no Centro Velho de Santos, SP. O edifício foi inaugurado em 1922 para centralizar, organizar e controlar as operações do mercado cafeeiro, na época a principal fonte de riqueza do país. Por dentro a arquitetura é linda! Vale a pena conferir em fotografias. Consulte o Banco de Imagens do Google.

Evgeny Lushpin, este tem um post só dele aqui no blog (Tudo Azul). Mas para quem não sabe, ele é um pintor russo, nasceu em 1966, Moscou. Retrata em suas obras o cotidiano de algumas cidades, entre elas Paris, Veneza, Brugge, Quebec, Praga, sendo todas ao anoitecer. Essa tela é novíssima foi pintada neste ano, 2012. Quanta beleza! Amo seu jogo de luzes. Lushpin pinta Campobasso uma comuna italiana da região do Molise, Itália. Tipo uma vila medieval.

Gaúcha. Thays Renk é uma artista plástica do Rio Grande do Sul, Brasil. Com inspiração no Impressionismo, um dos movimentos artísticos da Belle Époque, Paris, século XIX, Thays retrata desde a elegância da média burguesia em ruas e avenidas parisienses até locais de efervescência cultural como cafés, cinemas e teatros em suas telas.  Não sei se sua tela se trata de um lugar real. Mas gostei pela composição, cores e todo resto!

Terrence J. McGovern é um artista americano autodidata. Passou vinte anos na Marinha e quase quarenta no ramo de publicidade, mas não como artista ou diretor de arte, mas sim em gerenciamento de conta, seu desejo para pintar veio desde os tempos de menino. Sua tela se refere a um beco com estrutura de madeira, típico das edificações alemãs.

Por fim, mais uma vez a linda cidade de Praga, nos pincéis de Yuriy Shevchuk, um artista ucraniano, nascido em 1961 em Kiev. Assim como Andrey Chernysh coincidentemente, foi em 1993 viver na cidade de Praga por qual se encantou produzindo inúmeras telas.

FONTES

Textos: Wikipédia

- Bolsa de Valores SP: http://migre.me/aLwJQ

Tela, Vida e Obra Andrey: http://migre.me/aLu7L / http://chernysh.org.ua

Tela, Vida e Obra Helen: http://www.helentarr.co.uk/gallery.html

Tela Carballo: http://migre.me/aLwn2

Tela J.Verissimo: http://jverissimopinturas.blogspot.com.br

Tela Lushpin: http://lushpin.com

Tela Renk: http://thaysrenk.wordpress.com/belle-epoque

Tela Terrence: http://mcgovernart.com/photo.htm

Tela Andrey: http://migre.me/aLOEf

Categories: Paisagens | 4 Comentários

Qual a sua Paisagem?

Quando você abre a janela da sua casa ou do quarto qual a primeira coisa que vê? Eu vejo um grande campo. Já vi janela que se abre para o mar, para o telhado vizinho, para o rio, para guerras, para realidades inimagináveis. Você sente-se feliz com que vê? Neste post trago janelas de dentro para fora! Será que são reais? Ou simplesmente desejos dos artistas? Interessante, não?

“Da janela lateral
Do quarto de dormir
Vejo uma igreja, um sinal de glória
Vejo um muro branco e um voo pássaro
Vejo uma grade, um velho sinal…” (Música Paisagem da JanelaMilton Nascimento)

Ouça aqui: http://www.kboing.com.br/milton-nascimento/1-88579/

A tela inicial pertence a artista Isabel Cristina Pereira Vono  – nome artístico B. Vono, ou simplesmente conhecida como Bel. Brasileira, nascida em 1951, em Abaeté – Minas Gerais. Chama-se Janela Aberta. Talvez por ela ser de Minas Gerais, um lugar rico em Igrejas, é possível que essa seja uma visão real e para mim muito bem-vinda!

A artista Catherine Beale nasceu na área rural de Wiltshire, Inglaterra. Lugar retratado na sua janela. O local possui terras altas e colinas, além do famoso monumento neolítico Stonehenge, entre outros sítios arqueológicos.

Frederick Porter (1883-1944) foi um artista neozelandês. Sua tela quer dizer Através da minha Janela. 

Michael Dumas é um artista canadense, de Ontário, província de Algonquin Park, um ambiente rural. sua tela quer dizer Leve Magia, e tem como tema Abrir a janela e ter a visão externa.  A janela tem haver com a infância de Dumas, onde segundo o mesmo era um hábito da mãe abrir um pouco dela nos períodos de inverno para “ventilar” a casa.

Frank SantAgata é um artista americano, nascido em 1945, em Kerrville, Texas. Qual a visão da sua janela? O que será? Prédios como na lateral? Hummm… Fique a imaginar!

A Janela de Raoul Dufy (1877-1953) traz uma visão de algo no alto, um morro onde a partir do portão preto as coisas vão subindo. Percebe? A tela significa Janela Aberta em Saint Jeannet, 1926. Saint-Jeannet é uma comuna francesa na região administrativa da Provença-Alpes-Costa Azul, no departamento dos Alpes da Alta Provença.

Dufy diz: “O que eu quero mostrar quando eu pinto é a maneira que eu vejo as coisas com os meus olhos e no meu coração.”.

Raoul Dufy foi um pintor, gravador e decorador francês, a princípio impressionista, evoluindo gradativamente para o fauvismo, uma arte do equilíbrio, da pureza e da serenidade, destituída de temas perturbadores ou deprimentes. Este grupo de pintores , utilizavam nos seus quadros cores violentas, de forma arbitrária. Receberam influências de Van Gogh, através de seu emocionalismo e ardor passional pelas cores exacerbadas, e de Gauguin, com seu primitivismo e visão elementar da natureza.

Janela Aberta em Ligachevo, Rússia, por Konstantin Yuon (1875-1958) um artista russo, ficou conhecido por retratar entre outros temas a era Lenin e Stalin, ditadores russos.

FONTES

Textos: Wikipédia

Tela, Vida e Obra B. Vono: http://migre.me/asZVt

Tela, Vida e Obra Beale: http://migre.me/at08u

Tela Porter: http://migre.me/at0Lk

Tela e Vida Dumas: http://migre.me/at1dt

Tela Frank: http://migre.me/at1O7

Tela Dufy: http://migre.me/at2Re

Tela e Vida Yuon: http://migre.me/at3KK

 

Categories: Paisagens | 2 Comentários

Jardins e Campos Floridos

Ela surpreende. Um colorido imenso se faz presente em jardins e campos. Lavanda, trigos, flores, traz-me uma gostosa sensação. Cheiros maravilhosos. Textura macia. Liberdade. Vontade de abrir os braços e correr entre as matas. Regar com água. Tocar o pé no chão. Às vezes a vejo da janela do carro, cortando-a com ruas e estradas. Ouvindo a música Lindinalva, letra de Gilberto Gil, voz de Babado Novo, trilha sonora da minissérie Gabriela, de Jorge Amado, estas paisagens ganham ainda mais vida, na minha imaginação.

A primeira tela já em própria moldura do artista, pertence ao brasileiro autodidata de São Paulo, Alexandre Iesca. Chama-se O Jardim.

Norm Holmberg é um artista americano de Minnesota.

Marcel Gatteaux é um artista inglês, nasceu em Londres em 1962.  Ele pinta um campo de lavandas em Bonnieux, uma comuna francesa na região administrativa da Provença-Alpes-Costa Azul.

Um lindo campo repleto de flores nos pincéis da artista plástica brasileira do Rio Grande do Sul, Silvana Oliveira. Já falei sobre ela no post Casarios, série II.

Di Carli é um pintor impressionista brasileiro. Infelizmente não consegui mais informações sobre o artista. Mas sua tela vale uma parede!

Leonard Heid é um pintor americano. Costuma pintar as regiões de Palouse Prairie, Washington, E.U.A.  Sua tela quer dizer Velha Estrada 95.

Simone Campos é outra artista brasileira, nascida em 1965, Curitiba, Paraná. Infelizmente não encontrei o título de sua tela, mas é tão linda!

Por fim um campo de Urze (um tipo de planta) comum em Portugal, justamente onde se encontram no Monte Alentejano. A região do Alentejo, é  um lugar rico  em paisagens rurais. Tela de Salvação Barreto, artista português, nascido em 1927.

 

FONTES

Alexandre Iesca: http://alexandreiesca.blogspot.com.br

Tela de Holmberg: http://migre.me/al3y0

Tela Gatteaux: http://migre.me/al5F1

Tela Oliveira: http://migre.me/al3Hn

Tela Di Carli: http://di-carli.blogspot.com.br

Tela Heid: http://migre.me/al48u

Simone Campos: http://simonecampos.com.br

Tela Barreto: http://migre.me/al5j7

 

Categories: Paisagens | 4 Comentários

Uns tais de Nakane?

Vida no campo. Barulho do riacho. Piquenique com a família. Capela. Abrir os braços para o céu e deixar a chuva molhar. Um belo descanso. Árvores floridas. Tudo bem simplesinho… Vem comigo apreciar as lindas paisagens de um pintor que não encontrei muito sobre, mas pelo que me consta, e comentários dos familiares, netos do pintor como Fernando e Suedyr muito descobri! Trata-se de uma grande família japonesa. Segundo Suedyr Nakane, Toshizo Nakane, T. Nakane, Toshizo e Ippei Nakane são a mesma pessoa. Toshizo Nakane, 97 anos, RJ. Telas lindas assim não têm como não postar!

O quadro em moldura se chama: Paisagem com Pequeno Riacho, T. Nakane.

Que passeio gostoso!

 “Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21,15).

Vamos pescar aqui?

Ou aqui?

Um lindo casebre, entre os coqueirais…

E por fim um tradicional piquenique. Tão agradável! Até o cãozinho estava presente! Momentos bons!

FONTE

Veja galeria dos artistas: http://migre.me/9pJoD

Categories: Artistas Contemporâneos, Paisagens | 20 Comentários

Create a free website or blog at WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 74 outros seguidores